domingo, 10 de dezembro de 2017

A NOSSA OFICINA DO PAI NATAL! DIY - EMBRULHOS!

O bom do natal é a magia que envolve todas as atividades e como de "pequenos" nadas fazemos um "grande tudo"

É um mês de afetos com sabor a chocolate (para mim que sou fã deste docinho! ), e bom bom é prolongar este espírito pelo ano inteiro.

Nesta época em especial adoro ver o brilho na cara d´Eles com as atividades que vamos fazendo do nosso calendário do advento, na confecção das bolachinhas, nas músicas de Natal, nos embrulhos feitos por nós.....

Hoje foi tarde da nossa Oficina do Pai Natal. Uma oficina caseira mas com artistas e mestres à séria! Três gerações a darem o seu melhor na elaboração dos nossos embrulhos de natal. Eu, Eles e a avó SiSi!

Como diz o nosso maiorquinha hoje vai ser uma tarde com muiiiiito trabalho!

Embrulhos + bolachas + desenhos de natal!

Mãos à obra!








Eu & Eles
Hoje fala a mãe!
material: papel craft, etiquetas, carimbos e cordel da loja Tiger

terça-feira, 14 de novembro de 2017

9 DICAS PARA O SUCESSO ESCOLAR! EU & ELA! + GIVEAWAY!

             Passado o entusiasmo inicial do regresso às aulas, do estriar do novo material e do reencontro com os colegas começamos a observar em alguns dos alunos uma certa desmotivação e desinteresse crescentes. Também se apercebem? Mas não é nada disto que queremos pois não?

            Os testes estão à porta e a desmotivação é inimiga dos bons resultados. É exatamente por isso que hoje vos deixamos algumas dicas e estratégias práticas que aumentem a probabilidade de sucesso.... e sucesso gera motivação que gerará trabalho e que resultará em ainda mais sucesso!!! Vamos a isso??

            A organização do local de estudo é essencial. Assim, idealmente deverá ser:
                 - bem iluminado;
                 - adequadamente ventilado;
                 - ter uma temperatura adequada;
                - estar arrumado e organizado (objetos de lazer não devem estar misturados com materiais escolares por forma a reduzir a distração);
             - estudar sentado na secretária (muitos alunos escolhem o sofá ou a cama para estudarem. Desta forma torna-se mais difícil manter a concentração e há lugar a posturas desadequadas que podem comprometer a caligrafia e mesmo a saúde).

            O próprio estudo em si carece de estruturação para que nada falhe. Logo:

            -  elaboração de um horário de estudo (favorece a obrigatoriedade de um estudo diário ao invés de um estudo de véspera e, quando dado a conhecer à família, esta poderá ser um aliado importante no seu cumprimento);
            - os períodos de estudo devem ser ajustados (sessões de estudo mais longas em dias mais leves de aulas e sessões de estudo mais curtas em dias de aulas mais sobrecarregados);
            - entre cada período de cerca de 30 minutos de estudo deverá haver um tempo de pausa para descanso;
            - iniciar o estudo pelas disciplinas mais fáceis, passar às mais difíceis e deixar as de dificuldade média para o final;

            Agora sim não há como falhar ! Bom não é? 

    É importante também termos presente que a motivação vem também dos objetos que nos acompanham nas "empreitadas" de estudo e como não queremos que vos falta nada temos um CONCURSO em parceria com a marca 4estrelinhas !!! 

Temos um maravilhoso estojo plastificado "para arrumarem" o material dos vossos "mais que tudo"!. Para se  habilitarem a ganhar apenas precisam de fazer gosto na nossa página e na página da marca 4Estrelinhas e indicar 3 nomes de amigos nesta publicação.

            Boa sorte!

/o concurso termina no próximo dia 1 de Dezembro/



Eu & Ela
a vossa psicóloga!

domingo, 5 de novembro de 2017

DIÁRIO DE UMA PSICÓLOGA #12

Este fim-de-semana soube-me a Natal. Gosto de entrar em casa e ter uma casa serena à minha espera. E assim foi. Foi meu e D`ELES. Quando digo deles quero dizer que foi passado com grande parte da minha família. E é tão bom. Bom mesmo. Fico de coração cheiinho!

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Quem me conhece sabe que preciso de sair todos os dias um bocadinho de casa nem que seja só para ir tomar café e voltar. Faz-me bem. Faz-nos bem. Por esta razão, normalmente aos domingos de manhã temos já a nossa rotina definida. Mas desta vez foi diferente e não, não foi nada pior.

Fizemos as nossas tarefas, brincámos, lemos histórias e como não podia deixar de ser fizemos o bolo da praxe!!  Bolinhos todos os domingos do outono e do inverno. Esta é uma memória que guardo da minha infância e que gostava muito que os meus filhos também tivessem. A memória de uma casa quentinha com cheiro a pairar de uma comidinha boa. Pode parecer tão simples mas faz-me recordar tempos tão bons em casa dos meus avós paternos. Tempos em que andava de bicicleta e sonhava. Sonhava muito.

Memórias de uma casa com pessoas que cuidam um dos outros e dão o seu melhor. Por falar nisto esta semana que passou o João tinha uma tarefa da escolinha e num dia à noite disse-nos uma coisa que nos encheu o coração: "mamã, nós somos formidáveis porque gostamos muito uns dos outros". É nestas alturas que não tenho a menor dúvida que educar com base na inteligência emocional é das maiores ferramentas que lhes podemos dar. 

 _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 


Aqui vai a receita do bolo saudável de laranja natural que fizemos hoje de manhã. É tão delicioso quanto fácil de fazer. Dois em um!!

Vale mesmo a pena. Experimentem! 

Ingredientes
1 chávena de sumo de laranja natural
3 gemas
2 chávenas de farinha de trigo
1 chávena de açúcar (usámos açúcar mascavado e meia chávena!)
1 colher (sopa) de fermento em pó
3 claras em neve

Preparação: Bater o sumo de laranja com as gemas e o açúcar. Misturar a farinha, o fermento e, por último, as claras em neve. Levar ao forno para assar em forma levemente untada com um pouco de óleo e polvilhada com farinha. Desligar quando o bolo estiver pronto a comer.
Melhor é impossível!

Encontram outras receitas saudáveis aqui!


hoje fala a mãe!

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

FOI ASSIM QUE LHE EXPLIQUEI QUE O AVÔ MORREU.

Tínha-vos prometido este artigo. Como o prometido é devido ... ora cá está!

O avô João faleceu há sensivelmente quatro meses e, como infelizmente antecipávamos, tínhamos que dar a notícia aos meninos em especial ao Joãozinho de cinco anos. 

A causa da morte foi oncológica. Como imaginam, prolongou-se no tempo o que até nos permitiu o ir "preparando" devagarinho. Desta forma, conseguimos pô-lo a par das alterações pelas quais o avô estava e ia passar. 

Sempre lhe contámos tudo. Tudo à medida do que os seus cinco anos e a sua curiosidade conseguem compreender. 

Este é, se quiserem, um dos "truques". Contarmos-lhe sempre a verdade sem fantasiar, sem exagerar mas também sem contar todos os pormenores. Apenas os suficientes para poder responder às perguntas que a sua pequena cabecinha e a sua grande imaginação (própria da idade) lhe iam suscitando. 

Explicamos-lhe que o avô estava doente, que tinha que ir várias vezes a Lisboa fazer tratamentos, que era natural que tivesse menos energia e que o cabelo lhe ia cair.

Com calma e "serenidade" passamos / passaram em conjunto por todo este processo de evolução. 

O avô porque foi das poucas pessoas a quem vi conseguir colocar a doença no seu devido lugar fazendo até ao seu último dia a vida normal e o João porque sempre soube aceitar que as transformações iam ocorrendo e que, a partir dessa altura, os dias seriam assim. 

com compaixão. 

O tempo foi passando (este foi outro aspecto a nosso favor - o facto de não ser uma situação inesperada) e passou, passou até que chegou o dia... o dia em que tive que Lhes dizer.  Aos três.

......

Estávamos de férias numa atividade com os miúdos quando o telefone tocou. Ainda por cima naquela tarde, ao contrário do que muitas vezes é habitual, não tinha o telefone comigo. Quando vi as chamadas .... Eu sabia. Imaginava o que seria. Não foram precisas muitas palavras para perceber. O avô tinha piorado e estava muito muito doente.

......

Cheguei ao pé do pai e dei-lhe um abraço, pedi-lhe que fosse buscar o carro enquanto eu num instante ia ao quarto "atirar" com tudo para dentro das malas. Foi assim que fizemos. O João e o Pedro ficaram com os animadores e em pouco tempo estávamos enfiados no carro. 

.......

No carro disse ao João que como tínhamos andado a conversar o avô estava doente - tinha piorado- e por essa razão tínhamos que ir embora. As férias teriam que terminar. Ele aceitou. Aceitou resignadamente e os dois vieram sem confusão toda a viagem. Colaboraram maravilhosamente bem. Sabiam. Esforcei-me por mantermos dentro do possível as nossas rotinas e o que era habitual nas nossas viagens de carro. Jogámos jogos de palavras, jogos com profissões, cantámos e passadas 6 horas consecutivas chegámos a casa.  O Pedro dormia. Ao João, expliquei que eu e o pai tínhamos que ir ver o avô e por essa razão teria que fica em casa com os outros avós.

.......

De madrugada, nessa mesmo noite, estávamos no hospital. O avô "estava à nossa espera" (é bom pensar assim!!). Fálamos por instantes com Ele, dêmos-lhe água e mostramos-lhe os vídeos dos seus pequenos na praia. Já tinha as fotografias dos netos no ecrã do telemóvel. As lágrimas caiam, claro. Despedimo-nos e fomos para casa com a certeza Eu e Ele que seria a última vez que estaríamos desta maneira. E foi.

......

De manhã o telefone tocou. O nosso coração já sabia. Nesse dia vim buscar o João. Expliquei-lhe que o avô João tinha morrido e que era o dia de se despedir. Conversámos sobre os amigos que também já tinham perdido os avós e surpreendentemente  foi Ele que me contou o episódio do Simba quando perdeu o pai. Não podia ter corrido melhor. Falámos sobre quem ia encontrar  quando chegássemos e o que iria acontecer.

Dormimos.

Chegou o dia do funeral.
Apesar de alguns familiares não partilharem da ideia de o João ir ao funeral Ele foi. Era assim que deveria ser. Era assim que eu considerava melhor, como mãe e como psicóloga, era assim que Ele queria e era para isso que o tinha andado a "preparar". 

Eu sabia que ele compreendia, que precisava e que estava preparado. e foi. E correu bem. Muito bem.

.....

Nessa manhã depois do pequeno-almoço conversámos novamente Eu e Ele sobre como o dia ia correr. Conversámos novamente sobre quem ia estar, o que ia fazer, quando o ia buscar para ir ter comigo à igreja, quem ia encontrar, como iam estar as pessoas, como o iriam abordar, tudo. Tentei dar-lhe toda a informação possível. Descrevi-lhe tudo ao pormenor. - Por incrível que pareça nessa manhã deu o episódio de despedida do Simba do rei.

Fui buscá-lo e fomos para a igreja. Ia sereno. À entrada apertou-me a mão. (Tinha pedido aos presentes para estar tudo calmo) aquando da nossa chegada. Entrámos. Todos os olhares foram para Ele e Ele aguentou-se "à altura". (como se isto existisse!) Entrámos, viu a fotografia do avô (o caixão estava fechado), deixou as flores que tínhamos encomendado e deu um beijinho. Estivemos um bocadinho e quando Ele assim o entendeu, saímos. Dei-lhe um beijinho e foi com a madrinha ao parque.

À noite voltamos a conversar. E chorou. E chorámos. Foi bom. Na sua representação mental o avô foi feliz e tinha muitos amigos. A sala estava repleta de Flores. E é verdade. Tão verdade.

Foi isto.

Um obrigado especial a Todos, sem exceção,
A todos os que nos apoiaram, 
A todos os que nos ajudaram com os meninos, 
A toda a equipa do Hospital de Aveiro,
A toda a equipa da Fundação Champalimaud.


ASPETOS A CONSIDERAR NA COMUNICAÇÃO DA MORTE ÀS CRIANÇAS:

- Propiciar um ambiente calmo e seguro;

- Falar a verdade à medida da sua compreensão e da sua curiosidade;

- Transmitir a ideia da morte como um processo natural;

- Utilizar uma linguagem clara e simples;

- Não mentir nem inventar histórias;

- Não dizer que a pessoa que morreu vai para o céu ou passou a ser uma estrelinha (eu sei que no senso comum é isto que se faz com a melhor das intenções mas não ajuda na elaboração do processo de luto);

- Se a criança tiver vontade e se os adultos significativos considerarem que não é desorganizador pela natureza do funeral, as crianças devem ir -  as despedidas são extremamente importantes no processo de luto;

Um beijinho nosso,
Um beijinho em especial hoje a Eles e à Avó SiSi!
Para sempre no nosso coração.

EueEles * Nós * EueVocÊs





terça-feira, 31 de outubro de 2017

COISAS BOAS A ACONTECEREM! EU & ELA



Espero que estejam bem e tão entusiasmados quanto eu! ;) Como vos tinha dito num post anterior o blogue está a mudar e novos projetos estão entretanto a acontecer. Um deles, e porque gostava de vos disponibilizar mais conteúdos científicos e técnicos de extrema importância para o nosso dia-a-dia, é o de ter no blogue técnicos "residentes" da área da psicologia, da terapia da fala, da psicomotricidade, da pediatria... a esclarecerem todas as nossas/vossas dúvidas... aqueles quês que nos preocupam taannnto!!! Foi assim que desafiei a equipa que coordeno - o 5 Sentidos a participar neste novo conteúdo e bom bom foi que Eles, para muito orgulho meu, aceitaram! 

Neste sentido gostava de vos apresentar a Cátia Morais - Psicóloga Clínica na equipa do 5 Sentidos e o meu braço direito e da  - minha amiga e sócia há longos anos - brevemente vou vos falar mais dela e de como em conjunto fundamos o nosso espaço!.

Pois bem,  a Cátia irá não só colaborar no blogue no sentido da partilha de conhecimentos técnicos úteis e atualizados como também irá contribuir ao nível do lifestyle para nos inspirarmos cada vez mais a sermos pessoas mais felizes e equilibradas. Que bom que Ela alinhou comigo! Na verdade o euelesnósevocês tem como objetivo falar de mim  enquanto mãe, mulher e psicóloga, D`Eles (dos meus filhos, dos técnicos, de temas que nos interessam...), de Nós (da minha família e de coisas que me inspiram) e de Vocês!!! 

Maravilhoso, não é?

Para que possam então conhecê-la melhor vou falar-vos um bocadinho dela:

Ora espreitem:

Nome: Cátia Morais
Idade: 27 anos
Profissão: Psicóloga Clínica 5 Sentidos - Mestre em Psicologia Clínica Cognitivo-Comportamental
Motivação para ter seguido Psicologia: Interesse pela mente humana e pelos diferentes tipo de comportamento
Caso até agora mais difícil: Perturbação obsessiva em comorbilidade com pertubação de pânico 
O que não gosta mesmo nada: atrasos e "perder o controle"!!!
O que a apaixona: as amizades verdadeiras, os pequenos prazeres do dia-a-dia que nos dão tanta felicidade e sim, claro, os seus cães!

Fiquem por aí! Coisas boas estão a acontecer!


Eu & Ela!




domingo, 29 de outubro de 2017

ESTA É A PALAVRA DE ORDEM!!!

Já vos disse por aqui num post anterior que nos últimos tempos a minha palavra de ordem é planear.

Planear, planear, planear! Na verdade poupa-nos imenso tempo, ajuda-nos a sentir mais seguras e confiantes e possibilita-nos ainda gerir melhor os recursos disponíveis. É por estas razões que normalmente ao domingo, planeio as refeições, o trabalho e as atividades que vou fazer em família e com os amigos. Claro que nem sempre consigo cumprir tuuuudo à risca mas não importa porque no final corre tudo melhor. Bem melhor.

É certo que uma boa dose de flexibilidade dá-me sempre muito mas muito jeito. ;)

Não sei se vos ajuda mas como para mim ter as refeições planeadas é sempre um sossego partilho com vocês o que pensei serem os nossos jantares esta semana. Muitas das ideias são dos blogues da Joana Roque: um mix do blogue As minhas receitas by Colher-de-Pau e Economia cá de Casa. Também ja vos tinha falado desta preciosa ajuda de que quase todas as semanas me socorro. Pois já! ;) É por isto que os blogues também são bons: inspiram-nos, aconselham-nos e facilitam-nos a vida!

Um beijinho e boa organização!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Então para esta semana à partida teremos qualquer coisa como:

- Sopa todos os dias diversificada com legumes biológicos;

  • Arroz de tomate e pimento com pescada;
  • Bifinhos de perú com limão e couscous;
  • Penne com salmão fumado, queijo feta e maçã;
  • Salada de grão com bacalhau e ovos verdes;
  • Lombo recheado com alheira no forno;



De crescer àgua na boca não é?

Nunca nos faltam os "verdes" sempre a acompanhar. Os miúdos cá de casa devoram, sejam espinafres, agrião, alface...

Partilhem também as vossas sugestões. Concerteza vão dar um jeitão!

Hoje fala a mãe!

DIÁRIO DE UMA PSICÓLOGA #11

Este fim-de-semana foi cansativo, mas bom! Entre piscina, lides domésticas e preparar consultas houve tempo para organizar um jantar de Halloween como manda a tradição: sim: a rigor. 

Não somos propriamente fãs desta altura do ano e na verdade nunca antes assim tínhamos festejado mas também é certo que tudo o que é motivo para uma boa festa não precisa de muitas razões. É ou não?

Preparei tudo com Ele - o maiorquinha de 5 anos. Convidámos os amigos, escolhemos o que seria a ementa, decorámos a sala, iluminámos as abóboras e desenrascamos as fatiotas. Não podia ter corrido melhor.

Hoje de manhã depois de um longo serão, abordei-o:

- "João, qual foi a coisa que gostaste mais nesta festa?" - perguntei eu.
- "De tudo mamã... tudo foi mais mais! "- foi a resposta dele.
Vê-los tão felizes e colaborantes foi sem dúvida a melhor "doçura" deste nosso improvisado Halloween. Ficou o bichinho para o ano fazermos mais! Miúdos & Graúdos divertiram-se imenso!


hoje fala a mãe!